Home / Cidades do Brasil / Luiz Alves
Foto: Divulgação / Pref. Municipal

Luiz Alves

Luiz Alves é um município do Estado de Santa Catarina. Sua população estimada em 2017 é de 12.413 habitantes. A cidade apresenta beleza em suas paisagens destacando sua natureza, onde recebeu o título de “O Paraíso Verde do Vale”. Luiz Alves é o segundo maior produtor de banana do estado, destaca pela qualidade de suas verduras, do arroz e de outras culturas.

A cidade é conhecida como a “Terra da Cachaça”, devido aos seus produtos de qualidade reconhecidos nacional e internacionalmente. As cachaças luizalvenses são constantemente premiadas em concursos importantes, como na Expocachaça, maior evento do setor no mundo e no Concurso Mundial de Bruxelas.

Luiz Alves é um dos mais tradicionais produtores de cachaça do estado e do país. Desde o início de sua colonização, por imigrantes italianos, alemães e portugueses, o excedente da produção de cana-de-açúcar era aproveitado na fabricação de aguardente. Hoje, vários alambiques continuam produzindo, artesanal ou industrialmente, a famosa bebida nacional. Na bela paisagem rural, destacam-se as cachoeiras, grutas com imagens de santas e a Igreja Matriz São Vicente de Paulo, construção imponente encravada no meio da Mata Atlântica.

Luiz Alves possui várias quedas no rio Luiz Alves, Ribeirão Máximo e Braço Serafim.

■ PONTOS TURÍSTICOS

# 1 Gruta Nossa Senhora da Imaculada Conceição
Localizada no Braço da Onça, a 3 Km do Centro da cidade, é um ambiente propício ao relaxamento e à oração, em meio à natureza. Foi fundada em 1950 e está sob os cuidados da Comunidade da Gruta. Espaço de acesso livre.

# 2 Igreja São João Batista
Esta é a terceira construção, iniciada em 1964 e concluída em 1969 em terreno doado pelo imigrante francês José Lenoir. Os mestres de obra foram os irmãos descendentes de imigrantes italianos Bruno e Mário Paolin e o coordenador dos trabalhos o senhor Augusto de Gasper. Os tijolos foram fabricados na olaria Fritzke e a madeira beneficiada na serraria de Geremias Volpi. A imagem do padroeiro, os sinos e o crucifixo foram importados da Itália em 1886, doados por Anna Luciani, esposa de Vincenzo Luciani. As imagens de Nª. Senhora Auxiliadora e de Santa Helena foram compradas pela comunidade; a de Santa Rita, doada por Adeli e Inês Luciani; a de Santa Inês, doada por Angelina Luciani e a do Sagrado Coração de Jesus comprada pelo Apostolado da Oração.

# 3 Igreja Evangélica Luterana de Ribeirão Máximo

Foto: Divulgação

Os colonizadores alemães, que fundaram a Comunidade Evangélica de Confissão Luterana em 27 de fevereiro de 1894, chegaram em Ribeirão Máximo em 1874. No ano seguinte ao da fundação, no dia 6 de novembro, foi adquirido o terreno, onde se localizam os atuais templo, salão comunitário e cemitério. Até meados do século XX, limitados pela distância geográfica, os cultos com a presença do pastor eram realizados apenas a cada três meses. Para amenizar esta situação, líderes leigos dirigiam as cerimônias quinzenalmente. Desta forma conservava-se o hábito de reunir a comunidade, objetivando manter viva a fé em Cristo. O sino, vindo da Alemanha, é de 1902. Foi comprado em sociedade com a comunidade católica, sendo utilizado por ambas. O uso era compartilhado. Em caso de falecimento, a comunidade católica solicitava que o sino fosse tocado. A partir daí criou-se a tradição de forma que, ainda hoje, no momento de sepultamentos, independentemente de denominação religiosa, são tocados os sinos “católico” e “luterano”.

# 4 Igreja São Vicente de Paulo
Foi projetada pelo Eng.º Fellipe Bündgens, em 1940. Sua construção teve início em 15/04/1941, sendo concluída em 1952.A execução esteve sob a responsabilidade do Eng.º Hans Backes, de Brusque, e dos mestres de obra imigrantes italianos residentes em Luís Alves, Modesto Tibola e Ângelo Paolin. A obra foi executada em regime de mutirão, havendo a participação de todas as comunidades. Todo o material de construção e as madeiras foram doadas e conseguidas junto à população. Em sua construção não foi utilizado cimento, mas estuque. O carpinteiro e marceneiro Jacó Spézia foi o responsável pela fabricação do altar, bancos, confessionários, portas, caixilhos das janelas e dos vitrais e toda a armação de madeira da abóbada. Dimensões: comprimento: 47m; largura do corpo: 18m; largura do cruzeiro: 25m; altura interna: 15m; altura da torre: 37m. Passou por uma reforma geral em 2002, por ocasião dos festejos de 50 anos de construção.

■ EVENTOS

# 1 Festa Nacional da Cachaça
A Festa Nacional da Cachaça, mais conhecida como Fenaca, teve sua primeira edição em julho de 1984, mês de aniversário do município de Luiz Alves.

Durante a Fenaca, Luiz Alves recebe os maiores produtores de cachaça do Município e do Estado de Santa Catarina, que exibem toda a sua produção, permitindo a degustação e comercialização em meio a um ambiente festivo, com opções de gastronomia típica, cultura e entretenimento musical.

Ao longo do tempo, o evento se consolidou, podendo englobar um leque de outros segmentos, como feira agroindustrial e mostra econômica. Por isso, a Fenaca torna-se cada vez mais um evento de grande importância para o turismo catarinense, promovendo a visibilidade dos produtos de Luiz Alves e de seus apoiadores junto ao público.

Além da Festa Nacional da Cachaça, outra festa acontece simultaneamente à ela, a Festa da Banana. A cidade de Luiz Alves é classificada como a 2ª maior produtora de bananas do estado de Santa Catarina e a maior exportadora da fruta no Estado.

■ COMO CHEGAR

De Carro:
nd

De Ônibus:
nd

De Avião:
nd

■ MAPA DA REGIÃO