Home / Cidades do Brasil / São Fidélis
Foto: Divulgação / Pref. Mun. de São Fidélis

São Fidélis

São Fidélis também é conhecida como “Cidade Poema“, devido às belezas naturais e ao seu grande número de poetas. Sua economia é baseada no cultivo da cana-de-açúcar e na agropecuária (gado de corte e pecuária leiteira).

É banhada pelo Rio Paraíba do Sul e por dois importantes afluentes: Rio Dois Rios e Rio do Colégio. O município também abriga reservas de mata atlântica, no Parque Estadual do Desengano.

Os atrativos turísticos também estão presentes, contando com construções históricas, culturais e ecológicas. Entre elas, merecem destaque o Mercado Municipal, os quiosques, igrejas, monumentos, praças, fazendas, Serra do Sapateiro, Serra Peito de Moça, além de outras serras e cachoeiras. Em 2009, a Igreja Matriz do município, em seu projeto de arquitetura ainda ímpar, completou 200 anos.

Há também grande quantidade de eventos locais, como a Exposição Agropecuária, Concurso de Carros de Som, Baile das Corajosas, Festa de São Fidélis, Festa da Participação dos Purezenses Ausentes, procissões, a Ponte Preta (da malha férrea), a Ponte Velha, situada no Centro e construída em 1889, e a recém-inaugurada (em 23 de agosto de 2008) Ponte Antônio José Gonçalves Loureiro, cuja margem direita está localizada na Avenida 7 de Setembro, enquanto que a margem esquerda situa-se na Rua Loureiro, no distrito de Ipuca. Com 454 metros de extensão e 9 metros de largura, constitui ponto turístico e local de observação do nascer do sol sobre o Rio Paraíba do Sul.

■ PONTOS TURÍSTICOS

# 1 Igreja Matriz de São Fidélis de Sigmaringa
Tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) em 2002, a Igreja Matriz de São Fidélis de Sigmaringa fica às margens do Rio Paraíba do Sul. Com estilo arquitetônico eclético, a Igreja tem traços barrocos, neoclássicos e românticos. Inaugurada em 1809, foi restaurada em 2010 e abriga uma das maiores curiosidades de São Fidélis: um túnel no qual há uma série de catacumbas, mas que só pode ser visitado por pesquisadores autorizados. É em torno da Matriz que acontece a Festa de São Fidélis de Sigmaringa, padroeiro da cidade.

# 2 Museu Histórico Solar do Barão de Vila Flor
O Museu Histórico Solar do Barão de Vila Flor, que funciona no casarão construído pelo Barão de Vila Flor.

O prédio foi doado para a prefeitura em 1957 e foi tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) em 2002. Além dos objetos, móveis, quadros e livros do Barão, que estão no Memorial, o solar também abriga a Biblioteca Pública Municipal Corina Peixoto de Araújo e a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de São Fidélis.

Recentemente, o local passou por obras de restauração. Em sua fachada frontal há, em relevo, uma inscrição antiga que aponta não só o período de sua construção, mas também a ilustre visita do Imperador à cidade e o começo de toda a história de insistência do fazendeiro que se tornou Barão: “1847”.

# 3 Cine Teatro Jayme Coelho
Além de sediar eventos importantes – como o Fórum de Desenvolvimento organizado, em 2012, pelo sistema Firjan – o Cine Teatro Jayme Coelho proporciona diversão gratuita aos moradores de São Fidélis.

Com capacidade para 112 espectadores, a sala tem sessões duas vezes por semana, quando exibe produções voltadas tanto para as crianças como para os adultos.

# 4 Ponte Metálica
Tombada pelo Instituto do Patrimônio Cultural (Inepac), a ponte foi construída em 1889, para que os trens pudessem atravessar o Rio Paraíba do Sul. Mais tarde, foi adaptada para o tráfego rodoviário e, hoje, liga o Centro de São Fidélis ao distrito de Ipuca. Sua estrutura em metal é de origem inglesa.

# 5 Ruínas da Fazenda São Benedito
Além de ter construído o famoso solar no qual o Imperador D. Pedro II ficou hospedado, o Barão de Vila Flor era proprietário da Fazenda São Benedito, onde morou antes de São Fidélis ser elevada à categoria de Vila. As ruínas guardam vestígios da cruel forma de vida dos escravos na fazenda, que foi a primeira a receber luz elétrica na região. A Fazenda São Benedito é uma propriedade privada.

# 6 Salão Nobre do Colégio Estadual São Fidélis
Apresentações de dança, espetáculos teatrais, recitais de música, entregas de diplomas, premiações, palestras e encontros: boa parte da programação cultural fidelense acontece no Salão Nobre do Colégio Estadual São Fidélis.

O espaço é referência na cidade porque, além da infraestrutura e do conforto que proporciona, é motivo de orgulho para a população: em 2010, o colégio ficou entre as 30 melhores instituições de ensino do Projeto Escola Nota 10, do governo estadual.

# 7 Museu de Arte Sacra
Com o objetivo de preservar a história de São Fidélis e da Igreja Matriz de São Fidélis de Sigmaringa, o padre Luiz Carlos Reis de Amorim criou o Museu de Arte Sacra, em 2000. Aberto à visitação apenas durante o mês de abril (nos demais meses, as visitas devem ser agendadas), o acervo é formado por imagens sacras, livros, alfaias, objetos litúrgicos, quadros e uma coleção de painéis que conta a história do templo e do padroeiro da cidade.

# 8 Rio do Colégio
As terras de São Fidélis são cortadas por cerca de 35 km do Rio do Colégio. Em declive acentuado, suas águas formam corredeiras e cachoeiras muito procuradas, como a Oriente, a Pedra d’Água e a Recreio. Durante o período de seca, também é possível desfrutar os espraiados do rio, que são próprios para banho.

# 9 Rio Paraíba do Sul
De acordo com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), o rio Paraíba do Sul percorre quase a metade do território do Rio de Janeiro, cortando 37 cidades em 500 km de extensão. Neste percurso, cerca de 27 km estão em terras fidelenses.

Ao longo deste trecho, encontram-se ilhas que podem chegar a 30 alqueires, além de uma vegetação variada composta por tamarindeiros, mangueiras e touceiras de bambu. Suas águas transparentes só se tonam barrentas nos períodos de cheia e, de suas margens, é possível avistar fazendas com antigos casarões e velhas usinas de açúcar.

# 10 Parque Estadual do Desengano
Com 224 km² de área, o Parque Estadual do Desengano, suas terras se estendem da região serrana do Rio de Janeiro, nos limites de Santa Maria Madalena, até o norte fluminense, abrangendo as cidades de São Fidélis e Campos dos Goytacazes. Ainda de acordo com o Inea, a importância hídrica do parque está no fato de que, por abrigar inúmeras nascentes, ele é estratégico para o abastecimento de água de vários povoados das três cidades nas quais está localizado. Com um relevo de formas variadas, possui escarpas com 75º de inclinação, picos aguçados e patamares, além de cachoeiras muito bonitas. Seu ponto mais alto é a Pedra do Desengano, com 1761 m de altitude. No início de 2004, a reserva ganhou um Centro de Visitantes, com sala de exposição, auditório, anfiteatro e terminais de consulta.

# 11 Serra da Bela Joana
Mais um ponto turístico natural do município. É muito procurada pelo clima tropical de altitude (frio) e a vegetação variada que nela se encontra. A cascata da Bela Joana é o atrativo principal da serra.

■ EVENTOS

# 1 Festa de São Fidélis de Sigmaringa
Nascido em Sigmaringa, na Alemanha, durante o século XVI, Marcos Rei abandonou a vida de filósofo para ingressar na ordem franciscana dos Capuchinhos. Depois de muito questionamento sobre a vida religiosa, dedicou-se a servir exclusivamente a Deus.

Sua fé o levou a ser assassinado, a punhaladas, por inimigos do cristianismo católico, resultando em sua santificação sob o nome Fidélis, cujo significado é “fiel”.

Padroeiro da cidade batizada em sua homenagem, o santo é festejado, durante o mês de abril, com uma programação que inclui missas na Igreja Matriz de São Fidélis de Sigmaringa, procissão pelas ruas do Centro, desfile escolar e shows de artistas locais.

■ COMO CHEGAR

De Carro:
Seu acesso principal se dá pela RJ-158 que liga a cidade a Campos dos Goytacazes.

De Ônibus:
n/d

De Avião:
n/d

■ MAPA DA REGIÃO