Foto: Divulgação / Min. do Turismo

Paraty

Paraty está localizado no estado do Rio de Janeiro, distante cerca de 258 quilômetros da capital. A arquitetura colonial da cidade é característica da segunda metade do século XVIII, quando a cidade era um importante porto exportador de Ouro até Portugal. Existem mais de 60 ilhas e 90 praias em Paraty, boa parte delas selvagens e acessível somente de barco ou trilhas. As praias de Trindade são uma atração à parte. Outra atração bastante selvagem é a praia do Sono, um lugar intocável sendo explorada apenas por mochileiros mais experientes.

Paraty foi fundada pelos portugueses no século XV e tornou-se o porto exportador de ouro mais importante no período colonial do Brasil, no final do século XVII, época em que era embarcado para Portugal o ouro que vinha de Minas Gerais. Nas ruas do centro histórico e possível caminhar por ruas estreitas, calçadas pelos escravos em pedras de cachoeiras e rios da região, além do charme de suas casas no estilo colonial.

A cidade possui eventos e feiras importantes durante todo o ano como a FLIP – Festa Literária Internacional de Paraty e Festival de Cachaça de Paraty.

Paraty e sua Cachaça Artesanal
No início do século XIX, com o declínio da exportação do ouro, Paraty passa a produzir aguardente de tão boa qualidade que seu nome virou sinônimo de cachaça , importante moeda de troca no comércio de escravos com a África e na troca de mercadorias com as outras províncias. Nesta época o município chegou a ter mais de 200 engenhos de aguardente. Atualmente ainda existem diversos engenhos de Cachaça em Paraty produzindo cachaça de forma artesanal. Todos os anos acontece na cidade o famoso Festival da Cachaça de Paraty atraindo sempre muitos visitantes.

■ PONTOS TURÍSTICOS

Centro Histórico
O Centro Histórico de Paraty é cheio de vida e acredite 24 horas por dia, seja pelos artistas de rua, restaurantes e índios Guaranis que vendem e expõem seus artesanatos na rua. Além disso junta-se turistas de todos os cantos do Brasil e do Mundo.

O charme bucólico do centro histórico, onde é proibido o tráfego de carros e seus casarões do Século XVIII, hoje ocupados por restaurantes, pousadas, atelier e até boates.

Igreja Nossa Senhora das Dores
Uma igreja erguida pela vontade das mulheres. Construída em 1800, a Capelinha, ou Capela das Dores, como também é conhecida, nasceu da iniciativa das senhoras da sociedade. Passou por reforma em 1901, quando foi fundada a Irmandade de Nossa Senhora das Dores, constituída só por mulheres. No Império, era frequentada pela aristocracia. Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1962, a igreja passou por restauração em 2009.

Forte Defensor Perpétuo
Localizado no Morro do Forte, em uma elevação à margem esquerda de rio Perequê-açu, domina o núcleo histórico. Construído durante as últimas décadas do século XVII e início do século XVIII, com o nome de Defesa ou Ponta da Defesa, é o único remanescente das sete fortificações que defendiam a cidade, voltados para o mar.

Cais de Paraty
Local onde escunas e traineiras ficam protegidas e ancoradas a espera dos visitantes para navegar pelas ilhas e praias de Paraty. No chamado “Ciclo do Ouro”, Paraty por sua posição geográfica exercia a função de porto escoadouro da produção de ouro de Minas para Portugal. Foi uma das mais importantes cidades portuárias no período colonial brasileiro (1530-1815).

Estrada Real
Foi a primeira via aberta oficialmente pela Coroa Portuguesa para ligar o litoral fluminense à região produtora de ouro no interior de Minas Gerais. Na época, no século 17, o percurso levava 60 dias para ser feito pelos tropeiros a cavalo.

Igreja de Santa Rita

■ PRAIAS

Praia do Sono
A trilha de 20 minutos que inicia junto à igreja localizada no meio da praia, leva a várias piscinas naturais formadas pelo córrego da Jamanta, sendo o Poço do Jacaré uma das melhores piscinas para banho. A praia do Sono é praticamente um lugar intocado pela civilização, possuindo apenas uma pequena vila de pescadores, com poucos serviços turísticos como pousadas e restaurantes.

A orla sombreada por amendoeiras, poucas casas e barcos dos pescadores são o cenário perfeito, uma das paisagens mais lindas de Paraty. Quiosques feitos pelos próprios pescadores vendem comida e bebidas para os visitantes.

Baia de Paraty

Divulgação / EMBRATUR

Formada por dezenas de praias como as famosas praias de Trindade e a selvagem e misteriosa Praia do Sono, seu litoral convida o turista a passeios de barco e mergulhos incríveis. A Baía de Paraty tem cerca de 180 km de extensão, uma costa bem recortada e um mar calmo, sem grandes ondulações, facilitando muito os passeios de barco.

A paisagem ao redor da Baía é incrível e bem diversificada, é possível ver as montanhas da Serra do Mar, revestidas pela Mata Atlântica onde as montanhas terminam diretamente no mar. A melhor forma de você explorar todas essas belezas da natureza é de barco. Uma opção é comprar um passeio de escuna (opção mais econômica), e a outra é alugar a sua própria embarcação. Em ambos os casos, o ponto de partida é o Porto de Paraty.

■ COMO CHEGAR

De Carro:
Vindo do Rio de Janeiro: acesso pela rodovia Rio-Santos (BR-101);
Vindo de São Paulo: o melhor caminho é via Ayrton Senna-Carvalho Pinto (SP-070). No trevo de São José dos Campos, entre na Rodovia dos Tamoios (SP-099). Ao fim dessa estrada, vire à esquerda e pegue a Rio-Santos (SP-055, depois BR-101);

De Ônibus:
Vindo de São Paulo
Reunidas Paulista: http://www.reunidaspaulista.com.br/

Vindo do Rio
Costa Verde: http://www.costaverdetransportes.com.br
Colitur (Regional): (24) 3323-4151

Vindo de Belo Horizonte
Útil: http://www.util.com.br/

De Avião:
O Aeroporto de Paraty é de porte pequeno e utilizado apenas por aviões de pequeno porte e helicópteros fretados.

■ MAPA DA REGIÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *