Home / Cidades do Brasil / Santarém

Santarém

Santarém é considerada a “Pérola do Tapajós“, o principal centro urbano financeiro, comercial e cultural do estado do Pará. A cidade é uma das mais antigas da região amazônica e se constituiu como uma das mais importantes também.

Santarém possui o rio Tapajós, seu maior patrimônio. Comunidades tradicionais, rios e matas exuberantes, diversidade de peixe, pássaros e frutas; artesanato de grande inspiração, história e cultura formam o patrimônio turístico da região.

As praias são também um forte atrativo da região de Santarém com destaque para o povoado de Alter do Chão, conhecido como o Caribe Brasileiro, por suas areias brancas e águas azul-turquesa.

O melhor jeito de conhecer o modo de vida do ribeirinho amazônico, andar em trilhas pelo meio da floresta e apreciar a comida à base de peixe, num local farto de rios que mais parecem o mar, como o Amazonas e o Tapajós.  E é cercada pelo rio Tapajós, com vista para uma das mais belas paisagens da região amazônica: o encontro das águas límpidas do Tapajós com as águas turvas do rio Amazonas.

A história do ciclo da borracha no Brasil tem memória viva em Belterra, a cerca de 40 km de Santarém. É bonito de se ver o vilarejo de casinhas verdes e brancas, da década dos anos 30, onde o empresário americano Henry Ford alimentou o sonho de produzir látex para a fabricação de pneus. Ali, ainda se pode ver o bosque de seringueiras, o museu com equipamentos, mapas e fotos da época; e avistar a casa feita para Ford, na qual ele nunca pisou. Reza a lenda que tinha medo das doenças tropicais.

■ PONTOS TURÍSTICOS

# 1 Alter do Chão
Localizado a 37 km de Santarém, Alter do Chão recebe turistas do mundo inteiro. E, com as águas baixas, a temporada do verão amazônico no distrito que oferece dezenas de quilômetros de praias fluviais. A gastronomia de Alter do Chão é rica em sabores e temperos da Amazônia. São pratos de peixes como pirarucu, tambaqui, tucanaré e filhote. O tradicional pato no tucupi merece destaque, além dos sucos e doces de frutas da floresta. A cultura tapajônica também é rica no artesanato indígena e sítios arqueológicos.

# 2 Cais
Concorrido local para se ver o pôr do sol, é possível apreciar o encontro das águas barrentas do rio Amazonas com as azuis do Tapajós que nunca se misturam.

# 3 Floresta Nacional do Tapajós
Na Floresta Nacional do Tapajós tem área de 549.066,87 hectares e mais de 160 quilômetros de praias fluviais. Por exemplo, a comunidade Maguari, com cerca de 380 habitantes, administra pousada e fabrica artesanato a partir do látex, extraído ali mesmo e que se transforma em sandálias e bolsas, já exportadas até para a Europa. A UC abrange os municípios de Aveiro, Belterra, Placas e Rurópolis, no Oeste do Estado do Pará.

■ PRAIAS

# 1 Praia de Ponta de Pedras
Distante aproximadamente 23 km da sede do município, é possível chegar na praia de Ponta de Pedras de carro ou de barco. O acesso terrestre segue pela Rodovia Estadual Everaldo Martins (pavimentada) e por outra estrada não pavimentada, com uma extensão de 12 km. Já percurso fluvial segue pelo Rio Tapajós. Não há um transporte regular em ambos os percursos.

A praia é de grande beleza, destacando suas formações rochosas e a presença de vegetação próxima às margens. Além da vista, os visitantes também podem desfrutar da gastronomia local, servida em barracas para a venda de alimentos e bebidas.

# 2 Praias de Alter do Chão
No distrito de Alter do Chão encontram-se belas praias fluviais de areias brancas, banhadas pelas águas do Tapajós, com destaque para a praia Ilha do Amor e Praia do Cajueiro.

Em 2009 e 2012 a praia de Alter do Chão foi eleita pelo Jornal Britânico “The Gardian” com uma das melhores praias do Brasil.

O acesso as praias de Alter do Chão se dá tanto por terra quanto pelo rio. Saindo da sede municipal, o acesso por via terrestre ocorre pela PA-457 (via pavimentada) por cerca de 30 km (40min de carro ou 1h no ônibus de linha). Por via fluvial, através do rio Tapajós, com duração média de 3 horas de viagem.

# 3 Praia do Maracanã
A Praia do Marcaná é a praia mais próxima do centro da cidade de Santarém, distante cerca de 6 km seguindo a rodovia Fernando Guilhon, estrada totalmente pavimentada e sinalizada. O acesso também é possível por via fluvial, através do Rio Tapajós. Várias barracas de bares e restaurantes recebem os visitantes com pratos saborosos onde o produto principal é o peixe.

# 4 Praia do Pajuçara
O acesso a esta praia se dá por terra e pelo rio. O acesso rodoviário é pela Rodovia Fernando Guilhon, passando por propriedades particulares, mas sem impedimentos. Há ônibus diariamente para o local partindo do centro da cidade de Santarém. E o acesso fluvial é pelo do Rio Tapajós.

# 5 Praia de Carapanari
Localiza-se entre as praias de Pajuçara e Jutuba. Seu acesso pode ser feito através de via fluvial e terrestre. Por via Fluvial através do Rio Tapajós e terrestre através da Rodovia Fernando Guilhon e também pela Rodovia Everaldo Martins. Há alguns estabelecimentos na praia com serviços de bar e restaurante, dentre estas destaca-se o restaurante “Casa do Saulo” que tem como especialidades pratos feitos a base de peixe.

# 6 Ponta do Cururu
Localizada na margem direita do rio Tapajós, próxima à Alter do Chão, a Ponta do Cururu não dispõe de infraestrutura turística. O acesso a esta praia é somente por via fluvial através do Rio Tapajós, saindo de Alter ou da cidade de Santarém.

# 7 Praias do Arapiuns
A região do Arapiuns é formada pelo rio que recebe o mesmo nome e está localizada à margem esquerda do rio Tapajós. Só é possível chegar lá pelo rio.

No período do verão amazônico surgem nas margens do Arapiuns inúmeras praias, como a Ponta do Icuxi, Ponta Grande, dentre outras, de areias brancas e finas, formando na maioria das vezes pequenas dunas, com águas cristalinas, verde-azuladas.

Outro ponto turístico importante é a Cachoeira do Aruã, que é dividida em duas quedas d’água, separadas por uma pequena ilha coberta de vegetação. No local, além do banho de rio, pode ser praticada a canoagem, a caminhada ecológica e inúmeras outras atividades. São necessárias aproximadamente 10 horas para se chegar até a cachoeira.

A região do Arapiuns não dispõe de uma infraestrutura para a atividade turística como hotéis, restaurantes e, nem mesmo, barraquinhas de praia. Existem somente dois postos de saúde e um posto telefônico.

# 8 Praia do Arariá
Situada a noroeste da cidade, nas proximidades do aeroporto, a praia de Arariá é acessível somente por via fluvial. É formada pelo rio Tapajós e não dispõe de infraestrutura para receber visitantes.

# 9 Praia Maria José
O acesso se dá por via terrestre e via fluvial. Situa-se entre as praias do Juá e Arariá, não dispondo de infraestrutura para receber visitantes.

# 10 Praia da Salvação
Próxima ao aeroporto Maestro Wilson Fonseca, é possível chegar a Praia da Salvação tanto pelas estradas quanto pelo Rio Tapajós. Mas para o acesso por via terrestre é necessário solicitar autorização dos proprietários que vivem às margens da praia.

# 11 Praia do Jutuba
O acesso a esta se dá via fluvial também pelo rio Tapajós. Na praia não há qualquer tipo de infraestrutura turística.

■ COMO CHEGAR

De Carro:
n/d

De Ônibus:
n/d

De Avião:
Via aérea a cidade de Santarém conta com o Aeroporto Internacional de Santarém – Maestro Wilson Fonseca, com voos diários para Itaituba/PA, Altamira/PA, Manaus/AM, Belém/PA e Brasília/DF, com percursos que podem variar entre 30 a 180 minutos

De Navio:
É possível chegar a Santarém via fluvial, com embarcações saindo principalmente de cidades como Manaus (30 horas de viagem), Macapá (36 horas de viagem), Itaituba (8 horas), Altamira (26 horas de viagem) e Belém (60 horas de viagem).

■ MAPA DA REGIÃO