Home / Notícias / Expoacre gerou R$ 74 milhões em caixa e outros R$ 20 milhões na exportação de madeira

Expoacre gerou R$ 74 milhões em caixa e outros R$ 20 milhões na exportação de madeira

Montante chega a R$ 94 milhões nesta edição que inseriu, de uma vez por todas, o Acre no setor do agronegócio

Mais de R$ 74 milhões foram movimentados na última edição da maior feira de agronegócios do Acre, a Expoacre 2019, realizada entre os dias 27 de julho a 4 de agosto, segundo levantamento do Governo do Estado do Acre e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Acre (Sebrae/AC).

O montante, no entanto, deverá chegar aos R$ 94 milhões por causa de um carregamento de 123 contêineres com madeira certificada que navega, neste momento, em direção à Europa, importada do Acre por meio de negociações feitas na feira entre uma empresa francesa e o setor madeireiro local a um custo de 5,3 milhões de dólares, o equivalente a R$ 20 milhões.

Nesta segunda-feira, 12, o Governo do Estado do Acre, o Sebrae/AC, a Federação das Indústrias do Acre e a Federação do Comércio do Acre apresentaram os números, em coletiva de imprensa com a participação do governador Gladson Cameli.

“Sem dúvidas, foi uma das melhores edições de toda a história da Expoacre”, comemorou Lauro Santos, diretor-técnico do Sebrae. “Foram mais de 25 mil pessoas por dia, segundo o nosso levantamento aéreo e até quinta-feira passada, estávamos contabilizando R$ 94 milhões por conta de um volume de R$ 20 milhões em madeira exportada”, ressaltou Santos.

De acordo com Eliane Sinhasique, secretária de Estado de Turismo e Pequenos Negócios, foram gerados exatamente R$ 74.388.026,18. Esse montante é o que já está em conta, ou seja, que já está efetivado. “Deve-se ressaltar mais uma vez a consolidação de R$ 20 milhões do sistema de manejo agroflorestal e a empresa europeia”.
Governador cita família acreana como principal protagonista

O governador Gladson Cameli valorizou a família acreana como principal ativo da festa de agronegócios do Acre. “A presença das famílias, o olhar de esperança das pessoas por dias melhores é o que mais pudemos comemorar”, ressaltou Cameli, agradecendo também às Federações da Indústria e do Comércio e ao Sebrae/Acre.

“O ar de felicidade e de renovação por um Acre melhor é a nossa maior vitória. A Expoacre foi a grande vitoriosa, porque passou o sentimento de paz, de harmonia e de segurança às pessoas, sem incidente algum. E esse mesmo compromisso vamos levar para a Expoacre Juruá, com todas as instituições”, completou o governador.
“Números agora são reais”, diz Leandro Domingos

Para o presidente da Federação das Indústrias do Acre, (Fecomércio), Leandro Domingos, a parceria forte entre governo e a iniciativa privada mostrou que o fato de a administração estadual ser nova não atrapalhou em nada o bom andamento da feira.

“Diziam: ‘Vai ser um fracasso porque o governo não tem experiência’. Mas confesso que fiquei surpreso com o resultado. No passado, víamos um volume esplêndido e no mês seguinte, não víamos isso se realizando. De modo que agora não. Agora, esses números são efetivos, eles são reais, e graças à parceria forte, com cada um fazendo a sua parte. E estamos muito satisfeitos por ter sido assim”, diz Domingos.
Investimentos de R$ 3,9 milhões

Para a realização da feira, o Governo do Estado do Acre investiu R$ 3.957.877,46. Desse valor, R$ 474 mil foram da contrapartida do Sebrae/AC, por meio de convênio. Outros R$ 900 mil também foram investidos pelo Sebrae para a construção do ‘Galpão da Indústria’, espaço destinado aos micros e pequenos empreendedores.

A maior parte desses recursos foi para garantir a pavimentação das vias internas e do entorno do parque, os serviços elétricos, a instalação e o reparo de rede de água e de esgoto, os banheiros, para os serviços de limpeza e de conservação, para o uso de internet, segurança e outros serviços.

No Galpão da Indústria, foram feitos cerca de 20 mil atendimentos à população, entre eles palestras e atendimentos especializados promovidos pelas secretarias de Estado, em áreas como as de infraestrutura, justiça, meio ambiente, comunicação, ciência e tecnologia.