Home / Cidades do Brasil / Pitangui
Foto: Divulgação / IEPHA - MG

Pitangui

Pitangui é um convite ao turismo histórico, artístico-cultural e ecológico, com seus mais de 300 anos de história. Os pontos turísticos do município são bastante diversificados, a cidade possui capelas e igrejas do século XVIII e XIX, charmosas fazendas coloniais, casarões de grandes personalidades, minas de ouro desativadas, além do Chafariz da Praça e da Mina de água da Lavagem, que era utilizada para a lavagem do ouro pelos garimpeiros no início do século.

O Centro Histórico, um dos atrativos do município, devido ao traçado urbanístico português e ao acervo arquitetônico colonial e eclético. Pitangui foi o mais importante centro agrícola-comercial mineiro, com destaque para a pecuária, no final do século XVIII e início do século XIX.

A mina d’água da Gameleira, as Matas do Céu, da Rocinha e da Pedreira, bem como os rios Pará e São João são verdadeiros convites à aventura e ao descanso. E, para completar o quadro paisagístico, o Cristo Redentor e a Capela, no alto da Serra da Cruz do Monte, um local aprazível, de onde se contempla toda a cidade.

■ PONTOS TURÍSTICOS

Matriz de Nossa Senhora do Pilar

Foto: Divulgação / Pref. Mun. de Pitangui

Situada á Praça Getúlio Vargas, a Igreja Matriz de Nossa senhora do Pilar apresenta o estilo arquitetônico neogótico. Começou a ser construída em 17 de agosto de 1914, sob a autorização do Arcebispo de Mariana Dom Silvério Gomes Pimenta. A obra teve orientação técnica do engenheiro Benedito José dos Santos e do chefe de obras Sétimo Caravita de nacionalidade Italiana. Foi inaugurada em 15 de agosto de 1921 pelo Vigário Monsenhor Arthur de Oliveira, sendo o custo da obra de cento e setenta contos de réis. Em 24 de março de 1940 foi instalado o relógio na torre da Matriz, É o maior templo religioso de Pitangui, e hoje apresenta em seu interior pinturas sacras que encantam os turistas que a visitam.

Igreja de São Francisco de Assis

Foto: Divulgação / Pref. Mun. de Pitangui

O Templo foi erguido por iniciativa de Ignácio Joaquim da Cunha em 1850 no Alto das Cavalhadas (como era chamada a região), a partir de projeto arquitetônico assinado pelo Frei Eugênio Maria de Gênova. As obras se prolongaram por vários anos fazendo com que o templo recebesse a consagração eucarística somente no ano de 1872. O relógio, trazido de Portugal, data de 1811 e o sino, 1862. A Igreja abrigou por muitos anos, as principais festividades religiosas da cidade durante a reconstrução da Matriz de Nossa Senhora do Pilar, que havia pegado fogo.

Capela de Nossa Senhora da Penha

Foto: Divulgação / Pref. Mun. de Pitangui

Situada á Praça dos Bandeirantes, é um templo edificado por bandeirantes Paulistas, na margem do morro do Batatal, no ano de 1709, sob a direção do Capitão José Campos Bicudo, sogro do Velho da Taipa, Capitão Antônio Rodrigues Velho. A Capela apresenta o estilo arquitetônico barroco romano, tendo sido a terceira edificada em terras Pitanguiense. Símbolo da ocupação pitanguiense no início do século XVIII, seu altar, sacrário e presbitério merecem destaque por sua beleza e simplicidade.

Casarão de Maria Tangará
Situado á Rua Coronel Américo Bahia, 115 o casarão de três pavimentos foi construído no princípio do século XIX. É considerado um dos mais belos e imponentes casarões colonial de Pitangui. Foi sede do Fórum Municipal, do Externato Municipal, do Colégio Padre João Porto e da Casa da Intendência de Minas.

A moradora ilustre do casarão foi Maria Tangará, uma das mulheres mais poderosas de Minas, que viveu grande parte de sua vida nesse maravilhoso sobrado, que, segundo alguns, é assombrado, devido a crueldades praticadas pela matriarca mineira.

Inácio Joaquim da Cunha, marido de Tangará, o construiu, com o sonho de servir de sede para o Paço Governamental da Província de Minas. Hoje abriga a Escola Estadual Professor José Valadares, antigo Grupo Escolar Benedito Valadares, que funciona desde 1930.

Museu Histórico de Pitangui

Foto: Divulgação / Pref. Mun. de Pitangui

O edifício remanescente colonial apresenta as características usuais em prédios da mesma categoria, construídos no século XVIII. A construção representa a arquitetura popular brasileira da época.

Chafariz

Foto: Divulgação / Pref. Mun. de Pitangui

Edificado no século XIX, no ano de 1833, o Chafariz da Praça, situado á Praça Getúlio Vargas, próximo á Matriz, é um monumento histórico de nossa cidade. Comuns na paisagem urbana colonial e no período do império, os chafarizes foram de grande utilidade pública e construídos em áreas estratégicas das vilas e cidades. Já que não havia água canalizada nas casas, os escravos eram os incumbidos de buscá-la.

Operários portugueses, especializados em obras de cantaria, aqui vieram reformar a Matriz de Nossa Senhora do Pilar e acabaram construindo uma caixa d’água, de pedras. Esse reservatório recebeu em 1835 um frontão artístico de pedra de cantaria bem trabalhado. No centro do frontão, foi burilado na pedra, em alto relevo, em boa heráldica, o escudo do Império Brasileiro, encimado por um globo, ambos envolvidos por uma constelação contornante. Para servidão d’água, na parte ínfima do frontão, deixaram duas caras humanas salientes. E dessas caras ou caretas humanas, bem redondas e expressivas é que jorrava a água em abundância vinda da Mata da Pedreira.

Capela do Senhor Bom Jesus início conteúdo

Foto: Pref. Mun. de Pitangui

Situada entre as Rua Visconde do Rio Banco, a Capela do Senhor Bom Jesus é uma da mais antigas capelas da cidade, tendo sido inaugurada por Bandeirantes de Taubaté (SP) em 1º de Março de 1748. O carpinteiro, José Gonçalves Ferreira, a ergueu por 70 oitavas de ouro ( 86 mil contos de réis). Pequena e aconchegante, merece destaque o seu retábulo-mor (altar de madeira), de rara beleza. O nome “Senhor Bom Jesus” é em conseqüência do acampamento de tropeiros no Largo, que deixaram a imagem em suas redondezas, que depois seria conduzida para a capela.

■ COMO CHEGAR

De Carro:
Da cidade do Rio de Janeiro, seguir pela via BR-040 até a cidade de Pitangui, o trajeto possui 552 Km de distância e duração de 8 h 2 min.

Da cidade de Belo Horizonte, seguir pela via BR-262 e BR-352, trajeto com 127 Km de distância e duração de 2 h 8 min.

De Ônibus:
Terminal Rodoviário de Belo Horizonte
Endereço: Av. do Contorno, 340 – Santa Efigênia, Belo Horizonte – MG, 30110-017

De Avião:
Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Confins)
Endereço: Rodovia LMG 800, km 7,9 – Belo Horizonte/MG
Telefone: (31) 3689-2700

■ MAPA DA REGIÃO