Home / Minas Gerais / Juiz de Fora

Juiz de Fora

Juiz de Fora possui à localização privilegiada entre Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte que dão destaque no competitivo mercado de negócios e eventos. Localiza-se na Zona da Mata mineira, a sudeste da capital do estado, distando desta cerca de 283 km. Com uma população de 516 247 habitantes, fazem da cidade um destino para eventos de repercussão nacional e internacional.

Juiz de Fora surpreende por seu potencial em diversas áreas, desde a movimentada vida noturna até a diversidade de sua programação cultural. Os atrativos naturais são imperdíveis se você vem a Juiz de Fora fazer negócios, não pode deixar de conhecer o Parque da Lajinha e os mirantes da cidade. O Parque do Museu Mariano Procópio é uma atração à parte: patrimônio histórico, artístico, cultural e ambiental, reúne flora, fauna e monumentos capazes de impressionar os mais apurados olhares.

No centro da cidade aa arquitetura dos prédios históricos chama a atenção. O edifício do Cine-Theatro Central, ao estilo art déco, é o grande destaque do movimentado Calçadão da Rua Halfeld. É também nesta região que lojas e centros comerciais interligados por galerias formam um grande shopping a céu aberto, revelando a vocação comercial de Juiz de Fora.

Na culinária, a cidade alinha o cardápio tradicional mineiro à cozinha nacional e internacional. O acompanhamento fica por conta de cervejas artesanais, incremento de nossa gastronomia.

■ PONTOS TURÍSTICOS

CATEDRAL METROPOLITANA
Em estilo romano, o prédio possui duas torres e uma grande cúpula. A Catedral tem capacidade para mil pessoas, sendo 700 sentadas. A fachada da igreja é tombada, de grande valor histórico e cultural.

ACADEMIA DE COMÉRCIO
Prédio tombado pelo patrimônio histórico. O projeto arquitetônico privilegia o estilo clássico. Sua estrutura imponente se registra no alto da rua Halfeld, tendo ao fundo o Morro do Imperador.

CASA DE CULTURA
Espaço voltado para a inclusão cultural, reúne projetos de cunho artístico, no campo das artes plásticas, da música e do cinema.

CENTRO CULTURAL BERNARDO MASCARENHAS
Patrimônio municipal, o Centro Cultural oferece à comunidade galerias de arte, anfiteatro, videoteca e salas de aula, além de corredores para realização de eventos.

ESTÁDIO MUNICIPAL RADIALISTA MARIO HELÊNIO

Foto: Divulgação/PMJF

O Estádio Municipal ocupa uma área de 90 mil metros quadrados, a 4 km do centro da cidade. Com capacidade para mais de 30 mil torcedores sentados.

MONUMENTO AO CRISTO
Monumento constituído por uma imagem de bronze, colocada sobre um edifício de alvenaria, em forma de capela, projetada e construída pela firma Pantaleone Arcuri.

MORRO DO IMPERADOR

Foto: Divulgação / PMJF

Localizado em um dos pontos mais altos de Juiz de Fora, encanta pela beleza cênica e o contato com a natureza. De fácil acesso, possui uma linha turística que circula aos domingos e feriados.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA
Localizada na região da Cidade Alta, Zona Oeste, a Universidade Federal de Juiz de Fora oferece espaço de lazer voltado à prática de atividades físicas, parque e praça cívica.

MUSEU MARIANO PROCÓPIO
Fundado em 1915, abriga um dos principais acervos do país e está aberto para visitação de terça a sexta-feira de 14h às 16h. O parque do museu é aberto ao público de terça a domingo de 8h às 18h.

O Conjunto Arquitetônico e Paisagístico do Museu Mariano Procópio compreende a área que é de propriedade do município, incluindo a Vila Ferreira Lage, o anexo (que abriga o Museu); o Parque Mariano Procópio e todos os seus equipamentos. A Villa Ferreira Lage foi construída em 1861 pelo Comendador Mariano Procópio Ferreira Lage, em estilo eclético, com inspiração em modelos do renascimento italiano. Em 1915 foi aberta à visitação. A construção consiste em um bloco com dois pavimentos, um torreão e porão. O acesso é feito por uma varanda com escadas em dois lances. Em cima observa-se um terraço à maneira das construções renascentistas italianas.

O Anexo (Museu) foi inaugurado em 1922 por Alfredo Ferreira Lage, filho de Mariano Procópio, para que, juntamente com a residência, abrigasse a sua coleção. Trata-se de um pavimento retangular, com uma galeria central ladeada por salas para abrigar acervo, arquivo e biblioteca. O projeto da grande claraboia de vidro que ilumina a galeria central é atribuído ao artista Rodolfo Bernadelli. Em 1983 foram realizadas obras de acréscimo do segundo pavimento nas salas laterais.

No Parque estão inseridos a Villa, o museu e outros equipamentos, configura-se como uma grande área verde, reflorestada entre a segunda metade do século XIX e início do século XX. O paisagismo é atribuído ao francês Auguste François Marie Glaziou. O parque abrange a parte baixa do terreno, onde existe um lago artificial de forma retangular. Em uma extremidade do lago observa-se um jardim geométrico, de gosto francês. Outra parte do parque é constituída por um denso bosque subindo a encosta do Outeiro, onde se localizam os prédios, alamedas e calçadas. Ainda há um pequeno rio que vem dar no lago, cruzado por duas pontes de madeira construídas no século XIX, com ancoradouro para pequenos barcos. O parque conta com elementos artísticos, como uma figura escultórica da fundição Val D’Osne, estátuas de mármore, muretas, bustos, escadarias, monumentos. Recentemente o parque foi revitalizado com a construção de portaria, lanchonete e outros equipamentos de apoio à visitação. No local existe, também, uma fauna diversificada.

<p class=”AlignJustify”>Em 9 de fevereiro de 1936 o complexo formado pela Villa, o anexo e o parque, al&eacute;m de todo o acervo, foi doado ao munic&iacute;pio de Juiz de Fora (Decreto Municipal n&ordm; 202/107). O Museu hist&oacute;rico, art&iacute;stico e de hist&oacute;ria natural, tem seu acervo formado por amplas cole&ccedil;&otilde;es de pintura, escultura, mobili&aacute;rio, porcelana, cristais, numism&aacute;tica, medalh&iacute;stica, artes decorativas, joias do s&eacute;culo XIX, arquivo fotogr&aacute;fico, biblioteca, etc. A cole&ccedil;&atilde;o do Museu Mariano Proc&oacute;pio foi tombada pelo Iphan em 1939. O parque e as edifica&ccedil;&otilde;es foram tombados pelo munic&iacute;pio em 1983.

■ COMO CHEGAR

De Carro:
Para quem sai da capital baiana em direção ao município de carro, a principal via de acesso é a BR-324. O motorista segue por 59 quilômetros até o entroncamento da BA-026. Percorre mais 11 km até Santo Amaro. A partir daí, deve seguir para Cachoeira pela mesma BA-026, por mais 38 Km.

De Ônibus:
Quem vai para a cidade de ônibus tem como opções as empresas de transporte Santana São Paulo e a Viação Jauá. As duas contam com linhas diárias para o município. Com intervalos de uma hora, ônibus partem em direção a São Felix, separada de Cachoeira pela Ponte Dom Pedro II.

■ MAPA DA REGIÃO