Home / Acre / Rio Branco

Rio Branco

Rio Branco nasceu no ano de 1882, onde o explorador cearense Neutel Maia viu no espaço onde estava uma frondosa gameleira um local para o futuro. Ali mesmo o explorador, que subia o rio Acre em um vapor, fundou o seringal Volta da Empreza. O local cresceu e passou a receber vapores que transitavam mercadorias entre o Acre e a Bolívia e, do seringal, surgiu um porto e a vila que originou Rio Branco. A região promissora foi disputada pela Bolívia e anexada ao território brasileiro em 1903. Hoje, a cidade é o maior centro financeiro, corporativo e mercantil do estado.

Além da gameleira gigante, a visita ao passado inclui o Palácio Rio Branco, o Memorial dos Autonomistas, a Praça Plácido de Castro e a bela Catedral de Nossa Senhora de Nazaré. O Museu da Borracha onde é possível reviver um dos importantes momentos culturais e econômicos do Acre também faz parte dessa viagem.

O rico passado deixou marcas no presente da capital. Com uma miscigenação de indígenas, nordestinos, e estrangeiros – em grande parte turcos, portugueses e libaneses a cidade oferece ao turista hospitalidade, folclore e gastronomia. Experimentar os deliciosos pratos típicos com ingredientes vindos dos rios ou feitos com frutas regionais deixa a estadia do ainda mais saborosa. Combine as delicias da culinária dando uma passadinha em bares, boates, cinemas, lojas de artesanato e galerias comerciais para que as belezas do Norte fiquem ainda mais marcadas na memória.

■ PONTOS TURÍSTICOS

# 1 Gameleira
Localizada à margem direita do rio Acre está a Gameleira. No local é possível encontrar a centenária árvore que deu nome ao local, símbolo de perseverança e resistência do povo acriano e que serviu de referencial para a fundação da capital, no fim do século 19. Atualmente, o espaço é um grande calçadão, que hospeda pequenas lanchonetes, bancos para observação do manancial e o mastro da bandeira acriana.

# 2 Novo Mercado Velho
Antigamente conhecido como Mercado Municipal, hoje o Novo Mercado Velho é um ponto de encontro dos moradores e turistas que passam na capital acreana. Localizado na margem esquerda do rio Acre, de frente para a passarela Joaquim Macedo e as pontes Juscelino Kubitschek e Coronel Sebastião Dantas, o atrativo turístico conta com bares, restaurantes e lojas de artesanato, entre outros.

# 3 Palácio de Rio Branco
Sede do governo do Acre, o Palácio Rio Branco foi construído, inicialmente, na década de 1920, com o projeto arquitetônico do alemão Alberto Massler. Inspirado nas edificações gregas, foi inaugurado em 1930, porém, totalmente concluído no governo de José Guiomard Santos, em 1948. Em 2008, na gestão do governador Binho Marques, foi oficialmente instituído o Museu Palácio Rio Branco. No local, é possível contemplar o Obelisco dos Heróis da Revolução e a fonte da sagração. Além disso, pode-se, ainda, conhecer diversas fases da história do povo acreano por meio de vídeos, fotografias e depoimentos em áudio.

# 4 Biblioteca Pública
Localizada no Centro de Rio Branco, a Biblioteca Pública acreana foi inaugurada em 10 de março de 1979 e totalmente restaurada em 2008, na gestão do então governador Binho Marques. O espaço conta com um acervo de mais de 80 mil livros e recebe cerca de 7,5 mil pessoas mensalmente. A biblioteca (que está passando por uma reforma desde o início de 2019), conta com espaços de leitura, computadores com acesso livre à internet para pesquisa, área infantil, de histórias em quadrinhos (HQ) e filmoteca.

# 5 Praça da Revolução Acreana
É a principal e mais antiga praça da cidade. A construção do quartel da Polícia Militar e do Presídio Ministro Vicente Rao (atual sede da Prefeitura de Rio Branco), durante o governo de Hugo Carneiro (1926-1930), definiu os contornos da Praça Rodrigues Alves, que seria inaugurada, décadas depois, pelo Governador Guiomard Santos. O lugar ganhou uma estátua do coronel Plácido do Castro, comandante da Revolução Acriana, em 1964, passando a ser chamado de Praça Plácido de Castro. Após uma reforma em 2006, a antiga praça ganhou ares de modernidade, exibindo piso de pedras portuguesas, mosaicos de granito, bancos em madeira, quiosques e um monumento de 12 metros em homenagem aos heróis anônimos da Revolução Acriana.

# 6 Passarela Joaquim Macedo
Um dos principais cartões postais do Acre a obra simboliza as transformações urbanas pela qual a cidade vem passando desde o início dos anos 2000. Usada exclusivamente por pedestres e ciclistas, a ponte cruza o rio Acre unindo o centro da cidade ao bairro do Segundo Distrito. Possui 200 metros de extensão e 5,50 metros de largura.

# 7 Parque da Maternidade
Inaugurado em setembro de 2002, o Parque da Maternidade possui uma extensão de 6.000 metros, cruzando boa parte de Rio Branco. Ao longo do parque, há vias para carros, ciclovias, pista de caminhadas e de skate, playgrounds, quadras de esporte, anfiteatros, praças, restaurantes e lanchonetes.

# 8 Parque do Tucumã
Com um estilo similar ao do Parque da Maternidade, o Parque Tucumã conta com cerca de 3.600 metros de extensão. O local possui pistas sinalizadas para veículos, ciclovias, calçadas para pedestres, playground, quadras de esportes, praças namoradeiras e quiosques para lanches.

# 9 Parque São Francisco
O Parque São Francisco é um equipamento social com quase 12 mil metros quadrados e que contempla ciclovia, pista de caminhada, academia ao ar livre, playground, mobiliário urbano com bancos de concreto. O local encontra-se no interior de Área de Proteção Ambiental São Francisco e está às margens do igarapé que leva o mesmo nome.

# 10 Parque Chico Mendes
Construída em 1996 pelo governo do Estado, o Parque Chico Mendes conta com uma área de 53 hectares, com trilhas, mini-zoológico, playground e espaço para piqueniques.Na entrada, há o Memorial Chico Mendes, onde é mostrada a história da vida, luta e morte do líder seringueiro.

# 11 Parque Capitão Ciríaco
Construído no local que pertenceu a um dos integrantes que promoveu a Revolução Acreana, o Parque Capitão Ciríaco é considerado hoje de grande valor histórico. O local, considerado de proteção ambiental e cultural, foi transformado em parque em agosto de 1994, e conta com 4,6 hectares, com vegetação nativa amazônica, árvores frutíferas regionais e aproximadamente 400 seringueiras. Dispõe, ainda, de equipamentos de esporte e lazer, sala de leitura, de inclusão digital e construções retratando a arquitetura tradicional acreana.

# 12 Horto Florestal
Instalado na década de 80 e revitalizado em 2008, o Horto Floresta conta com 17 hectares, dispondo uma rica flora, com seringueiras, castanheiras, açaí, patoá, abacaba, buriti, mangueiras e cedros, entre outros.Além disso, há também espaços para realização de atividades físicas, eventos e trilhas ecológicas, açude com um deck, pista de caminhada, passarela sobre o açude e equipamento de ginástica.

# 13 Mercado do Bosque
Quibe, baixaria, mingau e tapioca, entre muitos outros pratos típicos do Acre, são algumas das iguarias que podem ser encontradas no Mercado do Bosque. O espaço foi recentemente reformado pela prefeitura de Rio Branco e conta com 42 permissionários.

# 14 Sítio Histórico Quixadá
O Sítio Histórico do Quixadá foi construído, inicialmente, para a gravação da minissérie “Amazônia: de Galvez a Chico Mendes”, produzida pela Rede Globo. Atualmente, o local funciona como museu que guarda itens usados na trama, como roupas e objetos. Além disso, há também um restaurante que serve comidas típicas do estado.

# 15 Casa de Chico Mendes
A Casa de Chico Mendes, em Xapuri, pertenceu ao líder seringueiro e traz consigo um grande peso histórico, pois foi o local onde ele viveu boa parte de sua vida e onde foi morto por um tiro.A residência é um imóvel simplório, que obedece a um sistema construtivo tradicional da região. O espaço de 4 metros de largura segue o estilo estilo caboclo em madeira, coberta de telha de barro. Lá, encontram-se objetos pessoais, inclusive a cadeira onde Chico morreu na noite de 22 de dezembro de 1988. A casa é tombada como patrimônio histórico cultural desde 2011.

# 16 Seringal Cachoeira
Com opções de trilhas, arvorismo, hospedagem em chalé e contato muito próximo à natureza, o Seringal Cachoeira é uma das opções mais procuradas por pessoas interessadas neste tipo de lazer. Localizado em Xapuri, o espaço dispõe de três chalés, sendo um para casais e um familiar, belichário feminino e masculino, além de restaurante e piscina. Para os aventureiros, há também arvorismo.

# 17 Trilha Chico Mendes
Chico Mendes está localizada na Reserva Extrativista que leva o mesmo nome, entre os municípios de Assis Brasil, Brasileia e Xapuri. O primeiro ponto de parada para almoço é na Colocação Paraguaçú. O local é apropriado para almoço, descanso em redes e lazer. Possui um salão com mesa de sinuca rodeado por árvores. O trajeto ainda passa pelas colocações Revolta 01, Cariri, Boa Vista, São Domingos, Paraíso, Alto Alegre e Zé Costa. A trilha conta com sinalizações direcional, confirmatória, calmante e indutiva.

# 18 Geoglifos
Grandes figuras observadas no solo de áreas rurais acrianas, de origem desconhecida. Só podem ser vistos a mais de 80 metros do chão, por meio de voo de balão ou avião. Os desenhos são em diversos formatos geométricos.

■ COMO CHEGAR

De Carro:
n/d

De Ônibus:
n/d

De Avião:
n/d

■ MAPA DA REGIÃO