Turismo
 
          INÍCIO            DESTINOS NO BRASIL            SOBRE O BRASIL               DICAS DE VIAGEM
Turismo


Turismo no Brasil   >   Estado: Rio de Janeiro   >   Destino: Quissamã


Quissamã
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

 Pontos Turísticos

■ PONTOS TURÍSTICOS
Centro Cultural Sobradinho
O local funcionou como residência de José David de Paula e Francisca Romana do Patrocínio e abrigou o primeiro cartório de Quissamã. Em abril de 2005, foi adquirido pela Prefeitura e, desde então, passou por um processo de reconstituição que respeitou as características originais, mas implantou adaptações que incluem um elevador para facilitar o acesso a pessoas com dificuldades de locomoção.

As atrações são inúmeras: no primeiro piso, há um café com salão para exposições e biblioteca infantil. O hall de acesso ao segundo piso possui uma ampla sala de leitura, salas de acervo técnico (inclusive digital) e de internet. Na parte externa, há uma sala de artes e de música, além de cantina e um palco para apresentações musicais, preferencialmente de artistas locais.
Centro Cultural Sobradinho
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Cine Quissamã
Inaugurado em junho de 2008, o Cine Quissamã conta com uma sala de cinema com capacidade para 130 espectadores. O cinema tem confortáveis assentos e está equipado com material de áudio e vídeo modernos, que garantem ao local o mesmo padrão das melhores salas de projeção do país.

Se hoje o cinema municipal pretende formar uma nova geração de cinéfilos, no passado a cidade também contou com outras duas salas de cinema, uma no Engenho Central (o Cine Glória) e outra no Centro da cidade, a partir dos anos 50 do século passado. E alguns dos funcionários dos antigos cinemas ganharam uma homenagem especial no hall de entrada do Cine Quissamã: um mural comemorativo com as charges dos antigos bilheteiros e operadores, uma reverência às gerações anteriores.

Além das sessões regulares de sexta a domingo, às 14h, 18h e 21h, grupos específicos também usam o espaço do Cine Quissamã nos demais dias da semana, com horário pré-agendado, como as escolas municipais, o PAI (Programa de Assistência ao Idoso) e o CAPS (Centro de Atenção Psicossocial).
Cine Quissamã
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Estação Ferroviária do Centro
A réplica da Estação Ferroviária do Centro é uma das atrações do Centro Cultural Sobradinho e foi inaugurada em junho de 2009. Ocupa hoje o local de origem da antiga Estação da Freguesia, que foi construída no final do século XIX, tornando-se um ponto de referência do transporte municipal.

No início do século XX, a Estação serviu para interligar os 40 km de via férrea que passavam pelas Fazendas locais até o Engenho Central e depois até o Centro de Quissamã.

O espaço reúne peças de época relacionadas à história da ferrovia e uma maquete animada reproduz o antigo percurso do trem entre as principais fazendas de Quissamã.
Estação Ferroviária do Centro
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Igreja Matriz de Nossa Senhora
No local da atual Matriz, havia uma mais antiga, de 1815, construída pelo Brigadeiro José Caetano de Barcelos Coutinho em cumprimento da promessa a Nossa Senhora do Desterro durante uma enfermidade. Em 1921, considerando-se o prédio de 1815 acanhado, decidiu-se pela construção, no mesmo local, de outro maior, compatível com sua crescente comunidade.

A inauguração do atual prédio deu-se com grande festa nos dias 27 e 28 de julho de 1924. A Matriz foi administrada de 1902 a 1994 pelos padres franciscanos e atualmente pelo clero secular (Diocese de Nova Friburgo).

Seu estilo arquitetônico é o eclético europeu com características das construções religiosas do início do século XX, do sul da Alemanha.

Possui planta de nave única e torre sineira central na fachada frontal. No seu interior encontram-se alguns altares, além de imagens sacras originais da antiga matriz, que foram recentemente restauradas. O Altar-Mor foi trazido da Alemanha e, antes de vir para Quissamã, figurou na Exposição comemorativa do centenário da Independência, em 1922, no Rio de Janeiro. Atualmente, a Matriz guarda também peças importantes como a pia batismal e o púlpito de origem germânica.

O conjunto arquitetônico é composto pela igreja, o convento dos padres redentoristas (1928) e a gruta artificial dedicada a Nossa Senhora de Lourdes. Ao seu lado direito, está localizado pequeno coreto em forma de cruz, cercado por grandes oitis.
Igreja Matriz de Nossa Senhora
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Espaço Cultural José Carlos de Barcellos
O ECJCB é a iniciativa de uma quissamaense e de seu marido que, depois de aposentados, resolveram voltar a Quissamã e trabalhar em prol da cidade. Desta intenção nasceu o ECJCB, cujo objetivo principal é preservar e divulgar a memória, a história e a preservação de atividades de caráter cultural e a formação da cidadania através da cultura e da difusão da preservação ambiental.

Instalado em meio a vegetação original da restinga, o ECJCB preocupa-se em recolher originais ou reprodução de documentos privados, fotos, mapas e plantas antigas, cartões postais e pinturas, além de fragmentos da cultura. Materiais como moedas, tijolos, telhas e instrumentos musicais, capazes de representar como foi Quissamã ao longo da história. Este acervo encontra-se em exposiçao permanente e pode ser visitado por moradores, pesquisadores e turistas que queiram saber mais sobre a história da cidade.

Espaço Cultural José Carlos de Barcellos
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Museu Casa de Quissamã
Sede de fazendas de açúcar mais próxima ao Centro de Quissamã, a moradia do Visconde de Araruama, de 1826, chegou a receber o Imperador Dom Pedro II como hóspede por diversas vezes. Além do Imperador, passaram pela grande aléia de palmeiras imperiais o Duque de Caxias, o Conde D’ Eu e a Princesa Isabel, convidados ilustres das requintadas festas que aconteciam ali. Móveis e utensílios da época transportam o visitante para uma verdadeira viagem ao passado. O amplo gramado e as aléias de palmeiras compõem um cenário imponente, que inclui um baobá.

Após a aquisição do patrimônio arquitetônico em 2002, a intervenção da Prefeitura permitiu a transformação do solar no Museu Casa Quissamã, inaugurado no dia 12 de junho de 2006.
Museu Casa de Quissamã
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Solar da Mandiquera
O solar foi erguido em 1875, com projeto do arquiteto alemão Antônio Becher, o mesmo da Machadinha. Foi construído para residência de Bento Carneiro da Silva, Conde de Araruama, filho mais velho do 1º Visconde de Araruama, cujo casamento contou com a presença de D. Pedro II.

Em estilo neoclássico é considerada a mais luxuosa residência rural do século XIX na região. Entre as pessoas ilustres da história, este solar teve como hóspede em 1877 o Imperador Pedro II e a Imperatriz Tereza Cristina, que vieram participar da primeira moagem do Engenho Central de Quissamã.

O solar foi cenário para as gravações dos filmes “O Coronel e o Lobisomem” e “Deu no New York Times” e hoje pertence à Prefeitura de Quissamã, que está restaurando com vistas à visitação turística.

O conjunto é composto ainda pela casa primitiva Santa Raquel, que abrigou os construtores do solar e do Engenho Central; pela fábrica de doces Fios de Ouro, que foi instalada no local do antigo engenho de açúcar da fazenda (1847); e pela monumental alameda de palmeiras imperiais na entrada.
Solar da Mandiquera
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

■ PRAIAS
Praia de João Francisco
A Praia de João Francisco é o principal balneário de Quissamã, hoje moradia fixa de apaixonados pelo local, que não abrem mão de apreciar o maravilhoso pôr-do-sol sobre areias e ondas e as noites de luar, quando as estrelas parecem dançar no imenso céu de Quissamã.

Em João Francisco, acontece anualmente o Projeto Verão, que inclui atividades lúdicas, esportivas, shows de alto nível com artistas locais e nacionais, valorizando assim, a cultura quissamaense e brasileira. Enquanto durar o verão, a praia permanece lotada, atingindo públicos maiores nos fins de semana. As casas são muito disputadas para aproveitar a temporada de férias, por isso, muitos veranistas vêm de fora para curtir Quissamã e aproveitar com tranqüilidade, um verão de muita alegria, degustando pastéis de marisco, bolinhos de arraia e outras delícias encontradas no comércio do balneário, além de estarem muito próximos às belezas do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba.
Praia de João Francisco
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Praia de Barra do Furado
Barra do Furado é um lugar peculiar. A pequena vila de pescadores que divide Campos dos Goytacazes e Quissamã, transformou-se num balneário muito procurado por surfistas de todo o Brasil, pois lá é sediado anualmente, uma das etapas do Campeonato Brasileiro de Surf Profissional, além de outras competições do esporte.

O surfista que não conhece Barra do Furado está perdendo a oportunidade de realizar manobras radicais e se sobressair como um netuno de pranchas. Ali, a Lagoa Feia desemboca no mar, pelo Canal das Flechas, fazendo um encontro magnífico entre as águas doce e salgada.

Tendo a pesca como principal atividade econômica, Barra do Furado dispõe de quiosques e restaurantes especializados em frutos do mar e suas iguarias.
Praia de Barra do Furado
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Praia dos Visgueiro
A Praia dos Visgueiro está localizada junto ao Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba e a Lagoa do Visgueiro. Tem aproximadamente 2 Km de extensão. Com suas areias brancas é uma praia de restinga onde são encontrados diversos animais dentre eles lagartos, mariscos e carangueijos. A população residente é de pescadores. A pesca profissional e amadora de rede e de linha é praticada durante o ano todo.
Praia dos Visgueiro
Foto: Pref. Mun. de Quissamã


 Ecoturismo & Natureza
Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba
O Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba foi criado dia 28 de abril de 1998 com objetivo de preservar o patrimônio natural composto por diversos ecossistemas. A região é considerada por pesquisadores como a área de restinga mais bem preservada do país, e se encontra praticamente intacta. O Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba possui 65% de toda sua extensão em Quissamã.

O parque abrange 14.860 hectares de restinga, com 44 quilômetros de costa e contém ainda lagoas costeiras paralelas ou perpendiculares ao mar e rica biodiversidade.
Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Canal Campos-Macaé
Com cerca de 100 quilômetros de extensão, atravessa os municípios de Campos, Quissamã, Carapebus e Macaé, e é o segundo canal mais extenso do mundo construído pelo homem. Foi uma das mais importantes obras do Imperador D. Pedro II no estado do Rio e é considerada, até hoje, uma das grandes obras da engenharia brasileira do século XIX. Construído entre 1843 e 1861 pelos escravos, tinha como função o escoamento da produção de açúcar das fazendas de Quissamã, Campos e Carapebus até o porto de Macaé.

Em 1847, o Imperador esteve no local pessoalmente vistoriando as obras. Em 1861, tornou-se navegável. Desde 1994, a Prefeitura de Quissamã vem mantendo o canal navegável, que corta vários sítios históricos, fazendas e as lagoas mais bonitas do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba.
Canal Campos-Macaé
Foto: Pref. Mun. de Quissamã

Lagoa Feia
A Lagoa Feia, o segundo maior espelho de água doce do país, apesar do nome, de feia não tem nada. Suas águas banham os municípios de Campos dos Goytacazes e Quissamã, margeando as diversas propriedades rurais que existem no seu entorno. Espécies de peixes como a traíra e o robalo, pescadas lá, sustentam e alimentam famílias inteiras de quissamaenses e campistas.

A Lagoa Feia possui condições ideais para a prática de windsurf, além de outras modalidades esportivas, pois o vento é forte e impulsiona as embarcações com muita facilidade. O local já sediou campeonatos de windsurf, atraindo grande quantidade de visitantes.
Lagoa Feia
Foto: Pref. Mun. de Quissamã