Home / Destinos pelo Brasil / Cachoeiras de Macacu

Cachoeiras de Macacu

A cidade de Cachoeiras de Macacu fica distante cerca de 90 km da capital e localizada entre imponentes vales da Serra dos Órgãos. Seu território possui 65 % formado por reservas da Mata Atlântica. A maior parte do Parque Estadual dos Três Picos está em Cachoeiras de Macacu. O local também é muito procurado por praticantes do trekking, mountain bike, montanhismo, rapel, trilhas e de outras modalidades de esportes radicais. O município tem, ainda, um rico patrimônio histórico cultural, representado principalmente pelas ruínas das igrejas São José da Boa Morte e de Nossa Senhora do Sant’Ana de Japuíba, ambas datadas do século XVIII.

O município de Cachoeiras de Macacu está situado numa região que exibe grande riqueza de atributos naturais, apresentando vocação para a exploração de atividades turísticas como o turismo rural e de aventura, além da agropecuária expressiva, apresentando grande potencial para explorar o segmento do turismo associado às atividades produtivas do meio rural (agricultura, pecuária e silvicultura), chamado de agroturismo.

A cada dia Cachoeiras de Macacu passa a ser procuradas como área para sítio de lazer por moradores da capital, belas cachoeiras e sua maravilhosa cadeia de montanhas e que dá acesso ao município de Nova Friburgo. O município comporta ainda um assentamento agrícola de grande importância chamado São José da Boa Morte, com uma extensão de quase 200 km² e que recebeu este nome por causa de uma igreja construída pelos jesuítas que também tinha esse nome. Hoje a igreja está em ruínas e é um dos principais pontos turísticos da região.

■ PONTOS TURÍSTICOS

Parque Estadual dos Três Picos
O Parque foi criado no Dia Mundial do Meio Ambiente, em 5 de junho de 2002, tem pouco mais de 65.000 hectares e abrange os municípios de Cachoeiras de Macacu, Nova Friburgo, Teresópolis, Guapimirim e Silva Jardim. O objetivo do Parque dos Três Picos é formar um corredor ecológico para garantir a biodiversidade regional, interligando áreas protegidas do sul e do norte do estado. Outra função do Parque é minimizar os impactos ambientais gerados pela especulação imobiliária e agro-pastoril, por desmatamentos, queimadas e caça predatória, além de proteger a bacia hidrográfica da região.

Igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição
A Igreja de estilo colonial apresenta piso em cerâmica antiga. Quatorze quadros em gesso representando a Via Sacra enfeitam as paredes junto com vitrais. Acima da porta de entrada, ladeada por duas luminárias, há uma imagem da santa pintada em óleo sobre azulejos.

Ruínas da Igreja São José da Boa Morte

Construída no século XVIII e tombada pelo INEPAC em 1989, a Igreja e suas ruínas são um marco histórico no município. No seu lugar havia uma capela de pau-a-pique, erguida por volta de 1734. Ela foi demolida, substituída por outra de pedra e cal, e ampliada com tijolos maciços a partir de 1834. Reza a lenda que diante de uma grande epidemia de malária ocorrida na primeira metade do século XIX, o povo se dirigia para a Igreja São José para ter uma “boa morte”. Restam ainda os vestígios da torre lateral da igreja e o antigo cemitério, aos fundos.

 

Monumento Natural Municipal da Pedra do Colégio (MONAPEC)
A montanha é um símbolo da cidade e está a 6 quilômetros do seu centro, a Pedra do Colégio é um imenso e maciço bloco rochoso com 300 metros de altura. Suas paredes esquentam muito com o sol, favorecendo as condições térmicas para a elevação de asas-delta. Os nativos contam que lá já funcionou um colégio jesuíta no tempo Brasil-Colônia. Daí o nome de Pedra do Colégio. De lá de cima avista-se a Serra dos Órgãos, o vale serrano e parte da cidade.

Biblioteca Cônego Leocílio Nunes
Tem cerca de 15 mil livros do acervo, entre literatura geral (brasileira e estrangeira), infanto-juvenil, além de sessões de pesquisa com jornais, revistas e livros didático (ensinos fundamental, médio e superior).

Centro Inter Educacional de Cultura e Artes
O Centro de Cultura e Artes oferece, além de programação cultural, oficinas gratuitas de dança, desenho, música, cinema e teatro. No espaço, funciona a Escola de Artes Jair Ramos, o Cine Teatro Paschoal Guida e a Galeria de Exposição Alcileu Silva. Contemplado pelo Projeto Oscarito, do governo do estado, aos finais de semana o Centro de Cultura e Artes exibe filmes para unidades escolares e para a comunidade em geral.

APA da Bacia do Rio Macacu
Criada pela Lei Estadual nº 4.018, de 05 de dezembro de 2002, abrange 19.508 mil hectares em partes dos municípios de Cachoeiras de Macacu, Itaboraí e Guapimirim. Seu objetivo principal é proteger faixas marginais na bacia do rio Macacu, que é o maior contribuinte da Baía de Guanabara. Engloba trechos de planícies ou baixadas e partes montanhosas com nascentes e remanescentes florestais significativos e tem sua maior área ocupada por pastagens, lavouras olerícolas e exploração mineral com retirada de areia para a construção civil.

■ FESTIVAIS

Festa da Goiaba em Cachoeiras de Macacu
O festival acontece anualmente, uma festa em homenagem à fruta. Entre as atrações culturais do calendário fixo de Cachoeiras de Macacu, está a Festa da Goiaba, realizada anualmente no mês de abril. O município, que é o maior produtor da fruta do Estado do Rio de Janeiro, e um dos maiores do Brasil, tem como principal cultivador as famílias de origem japonesa que vivem na região. Por isso, além da livre degustação de uma goiabada cascão de 200 kg, oferecida a quem estiver na comemoração, há apresentação de danças típicas nipônicas.

■ CACHOEIRAS

Cachoeira do Chapadão
Com 65 metros de altura, piscinas naturais, e procurada para prática de rappel (em Santo Amaro, Guapiaçu).

Cachoeiras do Tenebroso
Formam salto de cerca de 15 metros, piscina natural de 200 m² de águas profundas, e vegetação de violetas e bromélias (em Santa Fé, Boa Vista).

Cachoeira Furna da Onça
A cachoeira Furna da Onça possui uma queda d’água que forma uma bacia para banho. A caminhada até o local é de aproximadamente 25 minutos e localizada dentro de um condomínio.

Poço do Tanque Grande
Sua cachoeira forma um escorrega natural na pedra caindo em uma piscina natural, é formada pelo rio Guapiaçu.

■ COMO CHEGAR

De Carro:
2 h 9 min (117,1 km) via BR-116 e Estr. Rio-Friburgo;

De Ônibus:
A viação Reginas, possui ônibus saindo da cidade de Guapimirim até Cachoeiras de Macacu;

De Avião:
O aeroporto mais próximo é o Aeroporto Internacional do Galeão, na capital Rio de Janeiro;

■ MAPA DA REGIÃO