Cemitérios e túmulos históricos atraem turistas no Brasil

Repletos de obras de arte que retratam a sociedade brasileira ao longo dos anos e sepulturas de ídolos da música, arte e política, alguns cemitérios brasileiros estão se consolidando como atrativos turísticos. A procura é grande e alguns já disponibilizam visitas guiadas voltadas a turistas e estudantes a exemplo do que ocorre em cemitérios de outros países como o da Recoleta, na Argentina.

Para quem busca um roteiro alternativo nestas férias de verão, o Cemitério São João Batista, na Zona Sul do Rio de Janeiro, é uma boa pedida. Inaugurado em 1852, pelo imperador D. Pedro II, o local abriga túmulos de grandes personalidades da história, tais como Santos Dumont, Carmem Miranda, Cazuza, Tom Jobim, Machado de Assis e Floriano Peixoto entre outros. Lá, o visitante pode ver centenas de ricos mausoléus e sepulturas adornadas por esculturas e vários outros tipos de obras de arte. Para apreciar toda esta riqueza, são oferecidas visitas guiadas gratuitas na última sexta-feira de cada mês.

Quem visita o cemitério São João Batista encontra ainda um QR Code em vários túmulos de pessoas famosas. Por meio desse recurso, basta apontar o smartphone ou tablet na direção do código de barras e tirar uma foto para descobrir mais informações sobre quem está sepultado ali, como obras, fotos, vídeos, textos biográficos e outras curiosidades.

Em São Paulo, o Cemitério da Consolação também oferece visitas guiadas às terças e sextas-feiras, das 9h30 às 11h e das 14h às 15h30. O roteiro convida as pessoas a conhecerem a história e as obras de arte do local. O passeio é monitorado por Francisvaldo Gomes, conhecido como Popó, que teve como “mestre” o falecido historiador Délio Freire dos Santos, responsável pelas primeiras pesquisas sobre o patrimônio artístico e histórico do local.

O cemitério da Consolação abriga sepulturas de personagens como Monteiro Lobato, Tarsila do Amaral, Ramos de Azevedo e Mário de Andrade. Outro ponto que atrai o olhar dos turistas é o imponente mausoléu da família Matarazzo, cuja altura equivale a um prédio de três andares. Entre os artistas que produziram obras para o Cemitério da Consolação destacam-se os escultores Victor Brecheret, Luigi Brizzolara e Galileo Emendabili.

Memorial JK – BRASÍLIA
Na capital federal, o túmulo de Juscelino Kubitschek é também um museu com acervo sobre a vida do ex-presidente e peças raras como o Ford Galaxie 1974, último carro de JK. No memorial o visitante aprende sobre os bastidores de um dos maiores feitos de Juscelino: a construção Brasília. A visitação é aberta de terça a domingo, das 9h às 18h e o ingresso custa R$ 10, com possibilidade de meia-entrada para estudantes e idosos.

Na Catedral de Petrópolis, cidade da região serrana do Rio de Janeiro, está outro túmulo bastante procurado por turistas de todo o país: o mausoléu da família imperial que abriga os restos mortais do imperador D. Pedro II, da imperatriz Tereza Cristina, da princesa Isabel e de seu marido, o conde D’Eu. As sepulturas ficam à direita da entrada da Igreja e a visitação é aberta ao público. A poucos metros da igreja fica o Museu Imperial, antiga residência de verão de D. Pedro II.

Cemitério do Caju – Rio de Janeiro
Cemitério do Cajú é o maior cemitério do estado do Rio de Janeiro. Como nome de fundação é conhecido por Cemitério de São Francisco Xavier. Faz parte de um conjunto de necrópoles do estado do Rio sendo que o Cajú é o maior e mais conceituado cemitério do grupo, considerado ainda como um dos maiores cemitérios do Brasil.

Entre os cemitérios do grupo do Cemitério do Caju Cajú estão o Cemitério da Ordem Terceira do Carmo, o Cemitério da Venerável Ordem Terceira de São Francisco da Penitência e o Cemitério Comunal Israelita do Caju.

 

Check Also

Cicloturismo nos Campos Gerais do Paraná

A paixão por pedalar leva o cicloturista a utilizar o esporte para conhecer novos destinos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *