Turismo
 
          INÍCIO            DESTINOS NO BRASIL            SOBRE O BRASIL               DICAS DE VIAGEM
Turismo






Turismo no Brasil   >   Estado: Minas Gerais   >   Destino: Betim


Betim
Foto: Pref. Mun. de Betim

 Pontos Turísticos

■ PONTOS TURÍSTICOS
Represa Várzea das Flores
A represa Várzea das Flores, é um importante reservatório de abastecimento de água para os municípios de Betim, Contagem e Belo Horizonte. Além de ser um importante atrativo turístico do município, sendo visitada por muitos betinenses e turistas, principalmente, nos feriados e finais de semana durante o verão.
Represa Várzea das Flores
Foto: Pref. Mun. de Betim

Fazenda Vale Verde
Em uma área de 150 hectares, no distrito de Vianópolis, em Betim, a Fazenda Vale Verde que foi transformada, em 2002, num parque ecológico é um dos grandes atrativos potenciais de Betim, já consolidado como produto turístico. Na companhia de guias de turismo, o visitante pode conhecer todo o processo de produção das cachaças Vale Verde e Minha Deusa. Conhecer o preparo artesanal de doces, conservas, defumados e laticínios. Desde a criação do parque ecológico, o movimento passou de 1.500 pessoas para 5.500 em média por mês.
Fazenda Vale Verde
Foto: Pref. Mun. de Betim

Museu Paulo Araújo Moreira Gontijo
Em 1910, este local era o antigo Grupo Escolar Conselheiro Afonso Pena, posteriormente, já no final da década de 1960, o local transformou-se no Colégio Comercial Betinense. Em 1998 o prédio foi Tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal, passando por uma arrojada reforma e transformando-se em 2002 no Museu Paulo Araújo Moreira Gontijo.

Várias peças constituem o acervo deste museu, como a Carta de Sesmaria, concedida a Joseph Rodrigues Betim em 1711, jornais de 1969 com matérias que retratam o começo do crescimento da cidade, moedas de 1924, moedor de carne de 1920 e um diploma de conclusão do Grupo Escolar, de 1935, entre outras. Todas as peças foram doadas por moradores da cidade. O museu Paulo Araújo Moreira Gontijo se tornou um espaço dinâmico para a cidade. Nele são realizadas várias exposições de artistas locais, lançamentos de livros, apresentações teatrais e musicais, enfim, é um espaço para eventos culturais.
Museu Paulo Araújo Moreira Gontijo
Foto: Pref. Mun. de Betim

Casa da Cultura Josephina Bento
A Casa da Cultura Josephina Bento foi construída por volta de 1711. Sua finalidade inicial era servir de pousada para tropeiros, bandeirantes e sertanistas, que vinham de São Paulo com destino à Vila de Ouro. Além de pousada, na casa funcionava um comércio de secos e molhados. Existem indícios que a apontam como a primeira construção de Betim.

Em 1985, a casa foi desapropriada pela Prefeitura. No ano seguinte, iniciaram-se as obras de restauração. Em 1987, ela foi inaugurada como "Casa da Cultura Josephina Bento", em homenagem a uma das mais antigas professoras da região.

Em 1997, a casa foi tombada como Patrimônio Histórico-Cultural e é hoje o local onde se realiza os principais eventos culturais de Betim, tais como: exposições individuais e coletivas de artistas plástico, lançamento de livros, apresentações musicais, palestras, dentre outros. Além disso, dentro da casa está exposto um significativo acervo, reunido peças da história do município e do Estado, fazendo dela um espaço de conservação da memória betinense.
Casa da Cultura Josephina Bento
Foto: Pref. Mun. de Betim

Capela do Rosário
O processo de construção da Capela Nossa Senhora do Rosário foi longo, iniciou-se em 1814, com uma carta de pedido para a sua construção, emitida pela Irmandade do Rosário. A construção começou em 1894, com término em 1896, quando se registra a colocação da vidraçaria. No final da década de 1960, a capela correu o risco de ser demolida pela administração municipal. A Irmandade do Rosário evitou essa ação, através de uma mobilização social. Entre 1983 e 1984, a Capela passou por uma restauração. Em 1997, foi tombada como Patrimônio Histórico-Cultural. A Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a mais antiga de Betim, é ainda o local onde anualmente acontece a Festa do Reinado de Nossa Senhora do Rosário entre os meses de agosto a outubro.
Capela do Rosário
Foto: Pref. Mun. de Betim

Conjunto Arquitetônico da Colônia Santa Izabel
O Conjunto Arquitetônico da Colônia Santa Izabel foi construído no período entre 1922 e 1931, com a finalidade de abrigar e tratar os enfermos de hanseníase. Desde a época de sua edificação até a metade da década de 1980, funcionava restritamente à enfermos, agentes de saúde, religiosos e familiares de enfermos. O patrimônio arquitetônico da Colônia abriga o Portal, o Cine-Teatro Glória, o sistema de alto-falante, as ruínas do antigo pavilhão, o campo de futebol e os clubes Minas e União. Em 2000, a Colônia tem seu conjunto arquitetônico tombado como Patrimônio Histórico-Cultural. A arte, cultura, religiosidade, esporte, lazer e entretenimento estão presentes ainda na vida da Colônia Santa Izabel, podendo se destacar o futebol do Minas União Clube e também, o Coral Tangarás de Santa Izabel. Em 2005, o Cine-Teatro Glória, o coreto e o salão de festas foram restaurados e foi implantado um Centro Popular de Cultura (CPC), e uma biblioteca.
Conjunto Arquitetônico da Colônia Santa Izabel
Foto: Pref. Mun. de Betim

Estação Ferroviária
Construída em 1910, a Estação Ferroviária Capela Nova faz parte da Estrada de Ferro Oeste de Minas, que liga Belo Horizonte à Divinópolis (antiga Henrique Galvão). Em 1997, ela foi tombada como Patrimônio Histórico-Cultural Municipal e atualmente é considerada atrativo em potencial. A intenção da Setur é transformar este atrativo em um produto turístico, através de um projeto que será realizado pela Secretaria de Turismo de Betim que é o município pólo do projeto contando com a participação de outras cidades envolvidas. Através de uma parceria com governos municipais e a Associação de Trens de Minas (Astrem), o objetivo será recuperar os velhos trilhos unindo a revitalização econômica ao desenvolvimento do turismo ecológico e cultural.
Estação Ferroviária
Foto: Pref. Mun. de Betim

Capela de São Sebastião
Edificada na década de 1940, a Capela de São Sebastião, localizada no bairro Amazonas, é um exemplo raro de capela de fazenda em Betim. O local era ponto de união dos fiéis e lavradores da Fazenda Imbiruçu. Em 1997, foi tombada como Patrimônio Histórico-Cultural. Atualmente, a cada último domingo do mês é realizada uma missa sertaneja, às 10h, com a presença dos moradores de toda a região.
Capela de São Sebastião
Foto: Pref. Mun. de Betim