Turismo
 
          INÍCIO            TURISMO NO BRASIL            SOBRE O BRASIL               DICAS DE VIAGEM
Turismo



Doenças   >  Febre do Nilo Ocidental

■ O que é a febre do nilo ocidental
É uma doença infecciosa provocada por um vírus denominado Vírus do Nilo Ocidental (gênero Flavivirus). Este vírus pode infectar pessoas, aves, mosquitos, cavalos e alguns outros mamíferos. As manifestações clínicas são diferenciadas de acordo com a espécie animal infectada. Na sua forma mais grave, a Febre do Nilo Ocidental apresenta-se como uma doença do Sistema Nervoso Central, principalmente sob a forma clínica de encefalite ou meningite.

Atualmente, a circulação deste vírus encontra-se na América do Norte, América Central ou Caribe. Nos meses mais quentes é quando ocorre maior proliferação de mosquitos, tornando-se, consequentemente, o período de maior circulação viral.

Indivíduos com mais de 50 anos de idade que residem em áreas de circulação viral comprovada apresentam maior risco de adoecer pela Febre do Nilo Ocidental. Estima-se que 20% das pessoas que são infectadas pelo vírus do Nilo Ocidental desenvolvem a doença.

■ Como a febre do nilo ocidental é transmitida
A Febre do Nilo Ocidental é uma doença transmitida ao homem por mosquito de qualquer gênero, bastando apenas que este se alimente de sangue de aves e de mamíferos infectados (ex.: Aedes e Culex). Os casos graves da doença podem resultar em meningoencefalite severa e levar a óbito.

■ Existe vacina para esta doença
Ainda não desenvolveram uma vacina para a doença.

■ Como se prevenir da febre do nilo ocidental
A principal recomendação é evitar a exposição aos mosquitos, conforme as orientações a seguir:
- Evite ficar ao ar livre no período do amanhecer e entardecer, quando os mosquitos estão mais ativos;
- Use, se possível, roupas claras, de mangas compridas, calças compridas e meias quando estiver ao ar livre;
- Aplique repelente de mosquitos na pele exposta (nunca use repelentes sob roupa, ou na região dos olhos e boca);
- Verifique se o repelente é registrado na Anvisa observando a inscrição no rótulo do produto;
- Siga atentamente as instruções de uso inscritas no rótulo do produto e sempre repita a aplicação do mesmo no período indicado pelo fabricante;
- No caso de atividades físicas em que o corpo comece a suar, é necessário reaplicar o produto;
- Ao usar formulações em spray, aplique-a primeiro na palma da mão e depois espalhe pelas áreas expostas;
- Não permita que crianças manuseiem o produto. Um adulto deve auxiliar as crianças a espalhar o repelente na pele.

■ Quais são os principais sintomas da infecção pelo vírus do nilo ocidental
A doença pode ser assintomática ou não. Os principais sintomas incluem febre, dor de cabeça intensa, cansaço e dores no corpo. Ocasionalmente podem surgir manchas no corpo (tipo rash) principalmente no tórax, além de edema de gânglios linfáticos. O período de incubação nos humanos é de aproximadamente de 2 a 15 dias após a picada do mosquito infectado. Clinicamente, esta doença é semelhante à outra doença viral infecciosa também encontrada no Brasil, a Dengue.

Para os casos severos da doença, a internação é obrigatória devido à necessidade de terapia intensiva, reposição intravenosa de líquidos, manejo das vias aéreas, prevenção de infecções secundárias, entre outras.

■ O que fazer em caso de suspeita da doença
Caso a pessoa apresente alguns dos sintomas acima descritos e história de viagem, nos últimos 15 dias, para locais onde há circulação do vírus do Nilo Ocidental, a mesma deverá procurar assistência médica e informar às autoridades de saúde pública (Postos da Anvisa, Secretarias de Saúde do Município e/ou do Estado).

Fonte: ANVISA